Publicado por:

Conductel

Data:

9 de setembro de 2020

Tempo de leitura:

6min

Switch: porque você precisa de um

O equipamento é fundamental para a estrutura da rede de computadores. Saiba como escolher o que melhor atende as suas necessidades.

A sua empresa conta com um Switch? Se você não conseguiu responder esse questionamento por não saber o que é um Switch, nós te ajudamos! O termo ‘Switch’ vem do inglês e significa interruptor. Mas, dentro da área de Tecnologia da Informação, esse também é o nome dado ao equipamento responsável por fazer a conexão entre os computadores que compõem a rede; ou seja, trata-se uma espécie de roteador, mas não é só isso…

O Switch funciona como um ‘nó’ central da rede de computadores local (LAN), como o hub, mas com outras características, ele não é apenas um equipamento capaz de estabelecer a comunicação entre os computadores conectados à rede. Diferentemente do hub, o Switch possibilita que diferentes pacotes de dados sejam enviados simultaneamente e sempre identifica qual máquina dentro da rede deverá receber as informações. Com isso, a comunicação é estabelecida entre o emissor e receptor sem que a as trocas entre os outros computadores seja prejudicada por sobrecarga de tráfego.

Por isso, com essas características, esse equipamento evita o congestionamento da rede e ainda a torna mais eficiente. Ele também possibilita que a comunicação entre máquinas com placas de velocidades diferentes não prejudique o desempenho da troca de dados. Além disso, o Switch ainda é capaz de reduzir o consumo de banda.

No dia a dia, isso resulta no aumento da produtividade e garante a segurança e integridade de dados, informações e equipamentos. Por isso, embora o Switch seja indicado para as redes que operam com comunicação intensa, o equipamento é cada vez mais importante em redes corporativas, independentemente da quantidade de pontos de acesso.

Qual Switch escolher?

Atualmente, é possível encontrar no mercado switches com diferentes características e configurações. Apesar disso, eles podem ser classificados como modulares ou fixos. Os primeiros permitem a inclusão de módulos de expansão (que podem ser desde interfaces adicionais – como Firewall, wireless e etc. – até outros equipamentos, como sistemas de ventilação). Essas inclusões são feitas conforme a necessidade da rede. Por isso, é uma possibilidade que deve ser levada em consideração na hora da aquisição.

Já os switches fixos possuem um número determinado de portas e geralmente não possibilitam a inclusão de outros módulos de expansão. Eles também podem ser classificados de três formas: não gerenciáveis, inteligentes e L2 ou L3. Os primeiros são mais simples e ideais para redes de baixa complexidade, quando poucas portas de acesso já suprem as necessidades. Os inteligentes, também conhecidos como “Lightly Managed Switches” ou “Smart Switches” possuem recursos e funcionalidades que variam dependendo da marca e modelo. No entanto, possibilitam gerenciamento de tráfego e controle de segurança mais sofisticados. Além disso, ainda possuem a vantagem de utilizarem uma interface mais simplificada, o que facilita o uso.

Os L2 ou L3 são indicados para grandes redes, pois garantem mais segurança e possibilitam a utilização de um número maior de hosts. O L2, normalmente, é utilizado na camada de acesso e comunicação; além disso, possui custo menor. Já o L3, por ser indicado para redes complexas, possui uma variedade maior de recursos e é utilizado para a distribuição de informações e dados.

Para escolher o Switch que melhor atende as necessidades da sua empresa uma boa dica é listar os itens e características consideradas imprescindíveis. Entre elas, procure checar a necessidade dos seguintes elementos: quantidade portas, velocidade necessária e quais são outros recursos fundamentais.

Por se tratar, em muitos casos, de informações muito técnicas é comum que os gestores não consigam determinar com precisão esses itens. No entanto, com o apoio de uma empresa especializada em Tecnologia da Informação é possível fazer escolhas mais seguras e assertivas. Por isso, sempre conte com profissionais capacitados em conceber e implementar projetos dentro das especificações e necessidades para os mais variados tipos de redes.

Custos: um diferencial importante

Mas, seja qual for a necessidade de sua empresa, é possível encontrar no mercado diferentes modelos, marcas e configurações de switches. Os mais simples podem custar, em média, R$ 100. Já os mais complexos podem chegar a mais de R$ 50 mil. No entanto, outra opção bastante vantajosa é o aluguel desses equipamentos. Essa escolha, além de contar com custos de investimento menores, ainda oferece a vantagem contar um serviço de assistência técnica diferenciado.

Fale conosco, oferecemos uma gama de produtos com as mais variadas características para melhor atender as necessidades de nossos clientes. www.conductel.com.br

0
Compartilhar: