Publicado por:

Conductel

Data:

9 de setembro de 2020

Tempo de leitura:

6min

Contrato digital? Saiba o que é

Conheça como, usando a tecnologia, empresas e clientes encontram mais segurança, rapidez e economia na hora de fecharem negócios.

Já ficou para trás o tempo em que comprar pela internet era motivo de insegurança. Em 2018, para se ter uma ideia, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), foram 220 milhões de pedidos de compra feitos no meio online o que totalizou o faturamento de R$ 53,2 milhões – um crescimento de 17% em relação ao ano anterior, 2017.

Esses dados confirmam que se sua empresa e serviços não estão operando no mundo online, provavelmente muitas oportunidades estão sendo perdidas. Mas, caso seus serviços e produtos já estejam disponíveis na rede, é chegada a hora de dar mais um passo rumo a novas práticas.

Atualmente, quando o assunto é comércio online, ou e-commerce, uma das principais tendências é o contrato digital. E ele já uma realidade entre as empresas preocupadas em proporcionar facilidades aos seus clientes e agilizarem seus processos, além de estarem sintonizadas com uma questão extremamente importante: a sustentabilidade ambiental.

Como funciona?

Pilhas de papeis, necessidade de reconhecer firma, conciliar agendas… A assinatura de um contrato envolve muitas variáveis, não é mesmo? E se surge uma viagem de última hora? A solução para tudo isso está no contrato digital. Essa modalidade contratual utiliza de documentos digitalizados – que são trocados e validados por meio de assinatura eletrônica – em plataforma específica que garante a segurança e validade de todo o processo.

Com isso, se reduz a tão temida burocracia, o tempo gasto em todo trâmite e ainda possibilita práticas ecologicamente corretas. Quer conhecer mais sobre o assunto? Abaixo, você confere como funciona o contrato digital e quais são as suas principais vantagens:

Segurança garantida

Quando o assunto é contrato digital uma das primeiras dúvidas que surge é: eles são seguros? Atualmente, com o desenvolvimento da Tecnologia da Informação (TI), a segurança dos contratos digitais já pode ser considerada superior à dos antigos contratos de papel. Isso porque as informações e documentos necessários para a concretização do negócio trafegam em rede e plataformas específicas e são criptografados. Isso reduz consideravelmente a ocorrência de fraudes, já que apenas as partes envolvidas na transação terão acesso às informações.

É válido?

Neste quesito, a validade do contrato digital também já se equipara à modalidade impressa. Isso acontece, entre outros motivos, pelas exigências necessárias para a concretização desses contratos no meio online, como: certificações digitais e tráfego em plataformas específicas.

Além disso, desde de 2001, com a Medida Provisória 2.200-2/2001, a assinatura digital – item fundamental para a formalização do contrato – já é reconhecida por instâncias jurídicas. E, atualmente, em especial para setor imobiliário, as principais instituições bancárias do país aceitam e avalizam essa modalidade contratual. Com isso, todo o processo é certificado e autenticado.

Facilidade para o cliente

Para o fechamento de muitos negócios são necessários diversos tramites, entre eles: minutas de contratos, reconhecimento de firma, validação de documentos e etc. E, muitas vezes, toda essa burocracia acaba ‘pesando’ para o lado do cliente. Com o contrato digital esse caminho, muitas vezes tortuoso, é encurtado. Com o auxílio da internet, empresa e clientes conseguem com poucos cliques formalizar a negociação.

Velocidade

Todos sabem que uma das características principais da internet é a velocidade. Agora, imagine isso aplicado nos contratos digitais. Se a antiga papelada necessitava de ‘idas e vindas’ para estar completa e assinada; com o contrato digital tudo é mais rápido. Por exemplo, para adquirir um imóvel são necessários diversos documentos que confirmem uma série de requisitos. Tudo isso demanda tempo. Com o contrato digital, é possível encurtar a distância entre a negociação e assinatura do contrato. Empresa e, principalmente, cliente saem ganhando.

O meio ambiente agradece

Ainda usando como exemplo o ramo imobiliário, um contrato de compra de imóvel pode ter em média 100 folhas. Ou seja, com a utilização da modalidade digital, além de todas as vantagens anteriormente descritas, é possível garantir a preservação ambiental. Além disso, seja qual for o ramo de atividade de sua empresa, é certo que é preciso muito espaço para guardar documentos e contratos. Com a tecnologia atualmente disponível, toda essa papelada migra para o meio digital, a famosa nuvem. Isso, além de minimizar o impacto ambiental, ainda garante a sustentabilidade organizacional.

0
Compartilhar: